O que é o Projecto Querença?

“O Projecto Querença é uma iniciativa ou missão de resgate territorial (territorial rescue), de territórios em estado crítico, gravemente atingidos por processos de desertificação e abandono dos seus capitais, natural, produtivo e social, e cada vez mais próximos de limiares perigosos de irreversibilidade de desenvolvimento.”

 

O Projecto Querença está orientado para as áreas rurais de baixa densidade, aldeias, grupos de aldeias ou mesmo de municípios, de geometria variável e de acordo com uma análise de pertinência dos recursos existentes, potenciais e disponíveis. Este tem um propósito fundamental, qual seja, o de alargar o campo de possibilidades desses territórios em estado crítico e, ao mesmo tempo, promover o emprego de jovens licenciados em situação profissional precária, usando, para o efeito, uma abordagem territorial inovadora, criatividade dinâmica que visa fixar no interior aquela população universitária recém-licenciada.

 

O Projecto Querença tem um lema geral: da teoria à Acão, aprender a empreender; trata-se de uma Acão-piloto de problem-solving, investigação-ação e dinâmica de grupo. O projeto foi delineado em finais de 2010 com o objetivo de dinamizar o interior da região algarvia, numa diferente abordagem de intervenção, e apoiar a empregabilidade de jovens licenciados, através da busca de soluções sustentáveis de dinamização dos recursos endógenos e a criação de oportunidades de emprego.Em 2011 deu-se início à sua implementação, centrada em dois promotores principais: a Fundação Viegas Guerreiro de Querença, que se constitui como a promotora direta do projeto, e a Universidade do Algarve. Contou, desde início, com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, do Instituto de Emprego e Formação Profissional e da Junta de Freguesia de Querença. Juntaram-se, mais tarde, o apoio da Caixa Geral de Depósitos, Portugal Telecom, Fundação Calouste Gulbenkian e da Honda, SA.

 

A Equipa de Missão, formada por 9 jovens licenciados da Universidade do Algarve, foi constituída em Junho e em Setembro iniciaram a sua experiência de 9 meses na freguesia de Querença, aldeia para onde se mudaram e instalaram. A esta jovem equipa foi atribuído o desafio de conhecer os recursos locais (naturais, rurais, culturais, sociais), estudá-los, testá-los e trabalhá-los numa perspetiva de valorização e rentabilização sustentável. Agricultura biológica, ecoturismo, jardinagem sustentável, utilização de novas tecnologias, criatividade, são apenas algumas das metodologias e técnicas em uso para gerar ideias que, no final, possam derivar em projetos viáveis economicamente. Se assim for, está consagrado o primeiro passo para a uma possível recuperação deste território rural e para uma lenta reocupação humana do mesmo. São esses os motivos âncora desta iniciativa.

………….

Como minimizar o intenso processo de despovoamento do interior do País? Como valorizar os diversos recursos deste território, cada vez mais submetido ao esquecimento e ao abandono? Como imprimir uma mudança na compreensão deste mundo e, especialmente, na forma de intervir no mesmo, mais eficiente e produtiva? Como incorporar-lhe conhecimento, criatividade e inovação? O Projecto Querença pretende contribuir para as respostas a estas questões.

Introdução

São questões como as acima referidas que estão na base do Projecto Querença e que motivaram a realização da experiência piloto actualmente a decorrer nessa freguesia serrana do Algarve. Esta é, desde Setembro, a residência fixa de uma equipa de nove jovens licenciados, da Universidade do Algarve, que ali se instalaram com o propósito de desenvolver ideias que se traduzam numa mais valia para o território e para a sua comunidade e, principalmente, em oportunidades de emprego.

Sem nunca esquecer o elevado risco inerente a uma iniciativa desta natureza, dois pressupostos principais estão na base desta iniciativa e que explicam a metodologia desenvolvida para a sua implementação:

1. O território rural de Querença – bem como o de muitas freguesia deste País – possui numerosos recursos naturais e culturais que podem ser valorizados de diversas maneiras, e podem, até, gerar oportunidades sustentáveis de emprego;

2. É imperioso envolver massa crítica qualificada, jovem, criativa, empreendedora e, especialmente, externa ao “sistema” (sem dependência de subsídios, relações políticas, etc.) para explorar as potencialidades deste território. São precisas soluções novas, para resolver velhos problemas!

A experiência do Projecto Querença e o desafio que representa, assenta nestas ideias-chave. Durante 9 meses uma equipa multidisciplinar de jovens universitários, licenciados e mestres, instala-se numa determinada aldeia para aí porem em prática todo o seu conhecimento na busca de soluções e projectos que possam gerar riqueza local e, especialmente, oportunidades de emprego para os próprios. O trabalho em rede, a criatividade, a experimentação, o envolvimento da população local, a inovação, o trabalho árduo são as peças mestres na condução desta missão.

http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Interessante/content/Projecto-Querenca-Uma-nova-abordagem-ao-desenvolvimento-do-mundo-rural/section/2?bl=1&viewall=true#Go_2

…………….

 

Querer nº 1 – Programa de Actividades do Projecto Querença

 

Descarregar no link abaixo

Querer %231

 

…………..

 

Mais informação

http://www.projectoquerenca.com/pt/index.html

……………….

http://www.ipvc.pt/sites/default/files/Convite%2BGeraz%2Bcom%2BQuerenca.pdf

http://informacao.canalsuperior.pt/noticia/13463#anchor

http://www.ipvc.pt/projeto-geraz-com-querenca

http://www.sulinformacao.pt/2011/12/%C2%ABprojeto-de-querenca%C2%BB-recebe-o-alto-patrocinio-da-fundacao-calouste-gulbenkian/

http://biogere-esav.blogspot.pt/2012/06/nao-tinhamos-que-ter-medo-mas-demo-com.html

 

convite coopdes

Convite+Geraz+com+Querenca